sexta-feira, 21 de agosto de 2009

O Reinado da Imagem

Sou um apaixonado de longa data pela arte de se fazer vídeos musicais, ou, como são conhecidos aqui no Brasil, vídeo-clipes.

Surgidos ainda na década de 60, quando os artistas eram normalmente filmados num palco e pouco mais era acrescentado, os vídeos ganharam status artístico na década de 80, época na qual artistas como Michael Jackson, Madonna, Prince e Duran Duran atingiram a estratosfera, em grande parte graças ao poder de peças promocionais como Thriller (um curta-metragem que uniu cinema, música e dança de uma forma nunca antes vista), Like a Prayer (o vídeo que mostrou o potencial de polêmica do novo veículo) e Save a Prayer (peça do exibicionismo característico da década).

A partir daí, tudo se tornou possível, desde vídeos com pretensões cinematográficas até aqueles filmados em fundo de quintal, de baixíssimo orçamento.

Nos Estados Unidos, muitos realizadores que hoje dirigem filmes de sucesso, começaram trabalhando em vídeos musicais.

Alguns dos mais geniais dos últimos tempos, para mim, são vídeos que subvertem a linguagem altamente estilizada e, às vezes, pretensiosa, que se tornou marca registrada de muita gente.

O melhor exemplo é Praise You, do músico e DJ inglês Fatboy Slim e dirigido por Spike Jonze, que depois se consagraria em Hollywood, com películas como Quero Ser John Malcovitch e Adaptação.

Neste vídeo, o diretor aparece junto a um grupo de “dançarinos” executando uma coreografia surrealista de tão ruim em meio a passantes, que formam fila em frente a um cinema.

Aparentemente, Jonze e sua trupe filmaram tudo no próprio local e, o mais legal do vídeo, é ver a reação de incredulidade de grande parte do público. Fantástico.

Falando em Fantástico, quem não se lembra dos antológicos vídeos produzidos pela Rede Globo para exibição no programa de domingo à noite? De tão toscos e amadores, se tornaram clássicos.

Artistas tão diversos quanto Paralamas do Sucesso, Rosana, RPM e Gal Costa pagaram micos inesquecíveis, envolvidos em muito gelo seco, maquiagem bizarra e as coreografias impagáveis do indefectível balé do Fantástico. Só vendo para crer.

Hoje, qualquer vídeo pode ser facilmente localizado no You Tube (Deus o abençoe), e a linguagem continua a crescer e a fascinar.

Quem duvida que acesse o vídeo de Boom Boom Pow do Black Eyed Peas, e se deixe levar pelo incrível trabalho de computação gráfica de última geração.

Alguns vídeos imperdíveis:
1FreedomGeorge Michael
2 VogueMadonna
3 New York New YorkMoby
4 Hurt Johnny Cash
5Everybody HurtsR.E.M.
6SledgehammerPeter Gabriel
7 Beat ItMichael Jackson
8 NotoriousDuran Duran
9Money For NothingDire Straits
10Feed BackJanet Jackson

5 comentários:

Cris disse...

lembra do programa do Serginho Leite? bjão

Francisco Castelo Branco disse...

esta imagem do videoclip dos Black Eyed Peas está muito boa sim!

Luis Valcácio disse...

Serginho Leite? Não, realmente não me lembro. Dessa época, recordo-me de um programa da Globo chamado Clip Clip e um da extinta TV Manchete que se chamava FM TV.
Bj, Cris

SJR 242 disse...

Belíssimo blog... Falando de Buzzcocks, que tem uma participação no filme Control, e do grande Chico Science, e muitas outras coisas sobre bandas e músicalidades. Curti muito.
É uma honra ter alguém com um vasto conhecimento seguindo meu blog.
Abração.

Flavia Cavalcante disse...

"Thriller", para mim, é sem concorrentes!
grandes imagens, fortes emoções.