segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Entre Versos

Ela e Eu, de Caetano Veloso, é, na minha opinião, uma das mais belas letras da nossa música popular.

Sobre a interpretação de Maria Bethania não é preciso falar nada. Seria chover no molhado.

Além do mais, o que se pode acrescentar à perfeição? Emudeço, simplesmente, diante de tamanha beleza em canto e verso...
Ela e Eu
Composição: Caetano Veloso
Há flores de cores concentradas
Ondas queimam rochas com seu sal
Vibrações do sol no pó da estrada
Muita coisa, quase nada
Cataclismas, carnaval
Há muitos planetas habitados
E o vazio da imensidão do céu
Bem e mal e boca e mel
E essa voz que Deus me deu
Mas nada é igual a ela e eu
Lágrimas encharcam minha cara
Vivo a força rara desta dor
Clara como o sol que tudo ama
Como a própria perfeição da rima para amor
Outro homem poderá banhar-se
Na luz que com essa mulher cresceu
Muito morto que nasce
Muito tempo que morreu
Mas nada é igual a ela e eu

5 comentários:

Úrsula Avner disse...

Olá meu caro Luis, amo as música do grande compositor Caetano Veloso. Esta que você destacou é uma das mais lindas e é uma poesia do primeiro ao último verso. Também sou amante da MPB e de músicas internacionais de qualidade. Agradeço o carinho de sua visita e interesse em acompanhar o meu blog. Grande abraço.

Cris - Canto de Contar Contos disse...

Luis eu adoro a Maria Bethânia

Flávia Cavalcante disse...

Amo Bethania com sopros de desesperos. E esta canção me deixa enebriada...
Beijos.

Francisco Vieira disse...

Muito bonito este poema. A musica e a poesia fazem parte de mim. A vida sem nao seria igual.
Um abraco para si.
Francisco

Rabisco disse...

Lindíssimo este poema!

E nas voz de Maria Bethânia então...

Muitas lágrimas já me fez derramar...

Abraço