quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Meus Discos Preferidos: Cantoras

1- TapestryCarole King (1971)
Um disco importantíssimo, não só por consolidar a carreira da cantora, compositora e pianista Carole King, mas também por reafirmar a posição das mulheres como peças importantes no jogo da música. Autoral e, ao mesmo tempo, muito acessível, Tapestry é a consagração de uma artista completa.

2- Pearl Janis Joplin (1971)
Ainda que Janis não tenha conseguido completar este disco, ele revelou-se um canto de cisne mais que honroso. Em total domínio de suas avantajadas capacidades vocais, Joplin arrasa em faixas clássicas da dor-de-cotovelo como Cry Baby e A Woman Left Alone.

3- Lady SoulAretha Franklin (1968)
Numa recente enquete da revista americana Rolling Stone, Aretha foi eleita a melhor vocalista surgida nos últimos cinqüenta anos, superando nomes como Ray Charles, Elvis Presley e Marvin Gaye. Não há aí nenhuma injustiça. Quem já escutou maravilhas como Ain’t No Way, Chain Of Fools, A Natural Woman (de autoria da primeirona na lista), todas presentes neste disco fantástico, sabe que Aretha tem voz, alma, coração e mente prontos para emocionar e impressionar.

4- Dusty In Memphis Dusty Springfield (1969)
Esta incrível cantora inglesa tinha uma paixão confessa pela música soul americana e pôde extravasar esse amor neste belo trabalho do final da década de 60. Como o próprio nome diz, tudo foi gravado em Memphis, com músicos americanos e uma luxuosa produção. Infelizmente o disco não teve o sucesso esperado e Dusty teve que esperar a inclusão de uma das faixas num filme de Quentin Tarantino para que sua obra-prima fosse redescoberta. Antes tarde do que nunca!

5- Back To BlackAmy Winehouse (2006)
Outro caso de amor explícito entre uma cantora branca e a melhor música negra americana, Back To Black é uma perfeita mistura de soul, funk e pop sessentista embalados em uma roupagem moderna e pela voz sedutora de Winehouse. Uma pena que sua vida atribulada tenha se tornado maior que sua arte.

6- Dream Of Life Patti Smith (1988)
O trabalho mais doméstico, calmo e simples desta cantora que influenciou 10 entre 10 roqueiras surgidas do final da década de 70 para cá. Embora não seja uma obra-prima como Horses, este trabalho de 88 flagra Smith em paz com a vida, com o casamento e a maternidade.

7- Parallel Lines Blondie (1978)
Outra cantora super-influente, Debbie Harry juntou num mesmo pacote sensualidade, honestidade e uma grande sensibilidade pop. Ela era capaz de, num mesmo disco, cantar com agressividade uma canção punk como One Way or Another e, em seguida, languidamente, entoar uma música feita para as pistas de dança (Heart Of Glass, grande sucesso no mundo inteiro, inclusive por aqui).

8- Cor de Rosa e Carvão Marisa Monte (1994)
Este disco provou que Marisa não era apenas uma cantora eclética (leia-se, sem personalidade), de belo timbre. Boa compositora e, sobretudo, uma excelente garimpeira de clássicos meio esquecidos da nossa música (não se pode esquecer que muita gente começou a se interessar pelo grande Paulinho da Viola, depois que Marisa regravou pérolas como Para Ver as Meninas), ela construiu uma carreira coerente e de qualidade crescente.

9- Tinderbox Siouxsie & The Banshees (1986)
Musa de góticos, punks, darks e modernos, a maquiada Siouxsie sempre chamou mais atenção por seu visual meio egípcio, meio heroína de mangá do que por seus dotes vocais. Mas ela sempre cantou muito e este disco é uma prova cabal disso. Estão aqui os clássicos Cities In Dust e Candyman, que tocaram até cansar nas rádios de rock brasileiras dos anos 80.

10- Van Lear Rose Loretta Lynn (2004)
Sempre tive uma grande dificuldade com música country, mas, nos últimos dez anos, cantoras como Lucinda Williams e Loretta Lynn vêm desconstruindo este preconceito. Embora algumas pessoas possam alegar que este disco é muito bom por ter sido produzido e tocado por Jack White, dos White Stripes, a grande verdade é que quem brilha são as composições e a voz deliciosamente caipira de Lynn. E o dueto com Jack em Portland, Oregon é excelente, uma quebra das fronteiras entre rock e country.

6 comentários:

Rabisco disse...

Olá Luis!
É também através dos gostos pessoais que ficamos a conhecer um pouco mais as pessoas que nos rodeiam.
E, neste caso, que gostos! Diria mais, que bom gosto!

Pois eu partilho também dessa opinião, ao ver-te enumerar algumas das minhas cantoras preferidas de sempre...Janis Joplin, Aretha Franklin, Amy Winehouse, Marisa Monte e Blondie estão presentes também na minha lista!

Abraço grande

Graça Pereira disse...

Uma lista fabulosa!!! Aretha Franklin é das minhas mais preferidas neste Top. Mas gosto da Carole King, Dusty Springfield (porque eu ADORO música soul), Blondie e Marisa Monte, esta, sensacional. Parabens pela escolha. Aprovadíssimo! Um bj e bom fds Graça

Luis Valcácio disse...

Valeu, amigos... Tão difícil selecionar apenas dez cantoras. Ficaram de fora deusas como Kate Bush, Billie Holiday, Cassia Eller, Diana Ross, Gladys Knight e tantas outras...
Um grande abraço.

Flávia Cavalcante disse...

Luis:
tente comprar ou baixar o primeiro CD da Amy Winehouse, se voce ainda nao o tem. Chama-se FRANK. Tem a mesma força mas sem o compromisso da promessa. Ela o gravou num bar no começo da carreira.
Beijo,

http://t1.gstatic.com/images?q=tbn:v5T5VpGYmZFPyM:http://www.plong.com/MusicCatalog%255CA%255CAmy%2520Winehouse%2520-%2520Frank%255CAmy%2520Winehouse%2520-%2520Frank.jpg

Luis Valcácio disse...

Gosto muito de Frank, um disco sem o potencial radiofônico de Back To Black mas, ainda assim, bastante gostoso de se ouvir. Recentemente vi no You Tube, um vídeo gravado ao vivo com a música Stronger, no qual Amy aparece sóbria e cantando maravilhosamente bem. Bem diferente das imagens que nos acostumamos a ver na turnê do disco seguinte...

Dan disse...

Oi Luis,

Lista é sempre lista, sempre alguém fica de fora. Adoro os Discos da Carole King da Janis e da Marisa. Os outros não curto muito, mas lista é sempre lista e não agrada a todos.

Abraços