sábado, 20 de junho de 2009

Disco da Semana

Um dos mais originais, estranhos e belos discos de todos os tempos, Histoire de Melody Nelson, foi lançado pelo músico francês de origem russa, Serge Gainsbourg, em 1971, para deleite de pervertidos - no bom sentido, é claro - de todas as orientações.

Monsieur Gainsbourg já era mundialmente famoso pela sua escandalosa Je T'aime Moi Non Plus, uma singela canção em que a atriz e cantora inglesa Jane Birkin, na época namorada de Serge, murmura, geme e tenta cantar sobre as dores e as delícias de uma relação anal. Isso no início dos anos 70! Polêmica pouca é bobagem.

Novamente ao lado da linda Birkin - é ela quem, inocentemente, segura um bichinho de pelúcia na capa do disco -, Gainsbourg ousou mais alto, e concebe um álbum conceitual, no qual expõe suas obsessões com o sexo e as mulheres (personificadas pela personagem Melody Nelson, que assombra as 7 faixas do disco).

Do ponto de vista musical, é um disco inigualável. Em apenas 28 (!) minutos, Serge inaugura um gênero único, em que o tradicional rock de guitarra, baixo e bateria é desconstruído por inserções de instrumentos orquestrais, as letras são, em alguns momentos, substituídas por risadas histéricas, e o canto é descaradamente trocado por uma narração lenta e sussurrante. Tudo com o charmoso e sedutor sotaque francês.

Apesar de ter fracassado à época de seu lançamento, Histoire de Melody Nelson acabou se tornando um disco cult, objeto de reverência de diversos artistas. E um desafio para o público, ainda hoje acostumado com obras de fácil digestão e compreensão.

Coisa que esta obra-prima certamente não é.

4 comentários:

Dan disse...

Não conheço, mas fiquei curioso, tenho um CD dele que não ouço, faz muito tempo, vou passar a ouvir de novo e procurar esse disco na Internet.
Obrigado e abraços.

Luis Valcácio disse...

Vale muito a pena, Dan. Espero que você goste.
Grande Abraço.

Lazaro disse...

luis, falar em serge gainsbourg e jane birkin e NÃO mencionar o filme "paixão selvagem", de 1975, é como falar de cantoras brasileiras e NÃO mencionar a palavra lésbicas. só te perdoo porque sei que todo monstro sagrado tem seu dia de príncipe encantado. que fiquem todos sabendo: eu ADORO aquele filme. também amo, de coraçãp, a canção "la décandanse", de 1971. um abraço afetuoso e muito sucesso.
lázaro luis lucas
brasília-brasil

Luis Valcácio disse...

Meu caro Lázaro,
Para falar adequadamente de Paixão Selvagem teria que recorre a sua ajuda. Assisti ao filme há séculos e não lembro de quase nada. E para piorar, as poucas memórias não são exatamente felizes...
Grande abraço