quinta-feira, 25 de junho de 2009

Ícones

Dizem que ele tem lábios de borracha, mas acho que, na verdade, ele é o próprio homem-borracha, rebolando exaustivamente de um lado para o outro e ricocheteando pelo palco como uma bala perdida.

Magro, feio, insignificante, ele se torna um verdadeiro gigante quando assume os vocais a frente dos Rolling Stones.

Já tentou carreira-solo. Tadinho... A turba não gosta dele sozinho.

Realmente existe uma magia em Mick Jagger que só funciona plenamente quando está ao lado de Keith Richards, Ron Wood e Charlie Watts.

Seja pedindo simpatia ao diabo, seja proclamando que tudo é apenas rock’n’roll, mas ele goooooooooosta, Jagger é a encarnação perfeita do espírito debochado e irreverente da música vinda das ruas inglesas. Afinal, na Londres sonolenta dos anos 60, o que mais um garoto rebelde podia fazer, a não ser cantar numa banda de rock?

Para descobrir o Jagger mais puro, é preciso escutar Exile On Main Street, obra-prima dos Rolling Stones, lançada em 1972, originalmente um álbum duplo, e um dos melhores discos de todos os tempos. Blues, country, soul e rock disparados como uma metralhadora giratória. E Mick Jagger extraindo de suas cordas vocais seu desempenho mais visceral e furioso.

6 comentários:

L. disse...

Vou fingir que eu não li que o Mick (sim, bem íntimo) é feio. Vou fingir mesmo! (Tá eu confesso, ele é feio!)
O disco que mais gosto dos Stones é o "Some Girls". E que comprei por três vezes, pois um eu quebrei (pois sentei em cima), o outro furou de tanto escutar "Miss You" (sério... ele furou), e por fim me rendi ao CD (e esse ainda está inteiro) :)
Tenho tudo dos Stones e confesso uma coisa: tem uns "disquinhos" bem fraquinhos. rsrs
Mas... it`s only rock n'roll....

Um beijo moço inteligente,
L.

L. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Henrique Leal disse...

Boa tarde,sou Carlos Henrique do Poemas Indispensáveis, gostei muito do seu blog muito bom os comentários dos albuns dos artistas, essa semana vou atualizar o blog, pois a semana que passou foi tumultuada, passa por lá para deixar um comentário.

um abraço....

cristinasiqueira disse...

Que delícia que um dia nasceu com tudo e toda energia estrelas incandescentes,fulgurantes em ROCK and
ROLL.
Adorei ouvir teu jeito de falar de música e contar histórias.

BRAVO!!!

Cris

Luis Valcácio disse...

L., se você ouviu tanto Some Girls, só posso concluir que vc é realmente uma moça de bom gosto. No meu caso, o disco dos Stones que quese "furou" foi Let It Bleed, de 1969.
Ah, e obrigado pelos comentários!

L. disse...

Pois é Luis, ouço "Some Girls" desde muito pequena. =)
Um beijo e obrigada pela "conclusão". rsrs
Um beijo,
L.